Connect with us

Published

on

Estamos todos ansiosos pelo Episódio 3 do Circo Digital, que infelizmente ainda não foi lançado. No entanto, a criadora da série já começou a interagir com os fãs, compartilhando informações sobre possíveis eventos futuros, desmentindo algumas teorias e até soltando alguns spoilers. Vamos falar sobre tudo isso agora!

Possíveis Temas e Lançamento

Muitas pessoas têm comentado que o próximo episódio pode sair apenas em outubro, já que o tema parece estar relacionado a fantasmas e ao Halloween. Lembrando que nada está confirmado! Especulávamos que o segundo episódio poderia ter sido lançado no Natal ou em fevereiro, mas ele só saiu recentemente.

Perguntas e Personagens

Entre as perguntas que surgiram, temos:

  • O que está acontecendo com Jack, que trabalha como funcionário de salário mínimo no McDonald’s?
  • Como Kinger vai acabar usando uma espingarda?
  • Quem são os NPCs Madame Fantasma, Minion Fantasma e Homem Orb (que se parece com Vormann)?

Essas são algumas das questões em aberto, sem contar o cenário bizarro que lembra um estádio de beisebol.

Respostas da Criadora

A criadora, através do Tumblr e Twitter da Gworks, compartilhou algumas curiosidades:

  • Ela gosta de escrever cenas longas e tranquilas com dois personagens conversando, como vimos no piloto com Ragatha e Bonnie, ou quando Gomi descobre que é um NPC.
  • Ela aprecia sequências musicais instrumentais e artísticas que não acrescentam nada à história, como as cenas finais do piloto onde Pomni está enlouquecendo.
  • Piadas pastelão de desenho animado também são comuns, como as que vimos com um dos lagartos.

Criação de Personagens

A criadora mencionou que o conceito de criação de personagens é bem maluco. A Pomni, por exemplo, era inicialmente um sapinho! Além disso, ela esclareceu a questão da falta de memória: no Circo Digital, todos conseguem lembrar partes de suas vidas externas, mas não o próprio nome. Isso pode explicar traços de personalidade dos personagens, que refletem suas personalidades externas transmutadas para seus avatares no jogo.

Teorias e Regras do Circo Digital

Ela também comentou sobre as teorias e regras criadas pelos fãs, que muitas vezes não são confirmadas ou podem ter sido reescritas entre episódios. É importante lembrar que teorias são apenas teorias e não significam que são confirmadas.

Evolução da História

A evolução do Circo Digital focará mais nos personagens do que nos cenários. Ao invés de explorar novos mundos, a história se desenvolverá entre os próprios personagens dentro do circo.

Comentários Sobre o Jax

Ela explicou que o Jax foi reescrito no Episódio 2 baseado na percepção do público de que ele seria um personagem caótico. Os episódios 2, 3 e 4 já foram escritos antes do lançamento do piloto, então todos os detalhes foram planejados. Se Jax pareceu esquisito no Episódio 2, foi de propósito, e muitas coisas mais intensas estão por vir. Apenas os fãs mais fortes de Jax irão sobreviver à série inteira!

Conteúdos e Temas Pesados

Ela mencionou que piadas pesadas podem surgir no Episódio 6, incluindo uma piada sexual. A série terá implicações sexuais leves, palavrões censurados, referências ao inferno, morte, violência leve, imagens de cadáveres, uso de armas de fogo, e temas pesados.

Expectativas e Público-Alvo

A criadora espera que os próximos episódios atraiam o público-alvo, que parece ser mais velho, aqueles que jogaram jogos de plataforma coloridos dos anos 90, em vez do público infantil. É importante lembrar que versões infantilizadas criadas por fãs não são canônicas.

Conclusão

Por fim, ela espera que os próximos episódios surpreendam, com um enredo mais profundo e sombrio que o piloto. Isso abre espaço para muitas interpretações e expectativas!

Obrigado por lerem! Continuem acompanhando as novidades do Circo Digital aqui no blog e nos comentários. Até o próximo post!

Análise

A Evolução dos Padrinhos Mágicos: Da Glória ao Reboot

Padrinhos Mágicos é uma daquelas animações que marcaram uma época, mas sofreu com vários finais e reboots, tendo várias fases que mudaram muito a opinião das pessoas que acompanharam esse desenho. Com uma das ideias mais geniais que já pude ver numa série animada, passou por um início complicado, um auge glorioso e, claro, uma queda com vários reboots, mas que ainda não é seu fim. Vamos falar sobre ele agora.

Published

on

By

Padrinhos Mágicos é uma daquelas animações que marcaram uma época, mas sofreu com vários finais e reboots, tendo várias fases que mudaram muito a opinião das pessoas que acompanharam esse desenho. Com uma das ideias mais geniais que já pude ver numa série animada, passou por um início complicado, um auge glorioso e, claro, uma queda com vários reboots, mas que ainda não é seu fim. Vamos falar sobre ele agora.

O Encanto Inicial:

Padrinhos Mágicos é aquele desenho que você assiste uma vez e se encanta. Durante muito tempo, graças à boa dublagem brasileira, ele teve muitas piadas boas que até adulto entende. Ou será que não? Com mais de 10 anos, muitas pessoas acabaram assistindo a algum episódio dessa série durante várias das suas versões, sejam as melhores ou aqueles reboots que muitas pessoas criticam ou torcem o nariz.

Para quem não conhece e caiu aqui de surpresa, Padrinhos Mágicos é a história de um mundo onde existem fadas. Padrinhos Mágicos são fadas que acabam sendo acolhidas por crianças que realizam diversos desejos, claro, respeitando o livro de regras. Nada que fosse de fato usar a magia para ser desonesto.

E esse desenho consegue ser muito bom porque essas fadas acabam sempre servindo as crianças que precisam de ajuda, onde têm pais negligentes ou que estão sofrendo algum tipo de perseguição, seja em casa ou na escola. Isso funciona bem e, cara, é um conceito até que bem da hora, por sinal. Porque em termos de roteiro dava muito certo.

A Primeira Temporada e a Temporada Secreta:

Quem acompanhou a primeira versão conheceu, por exemplo, a história do Timmy Turner, que tinha dois pais que ignoravam o sofrimento do filho e deixavam ele com uma babá que praticamente explorava ele para tudo. Ou ele passava por situações dentro de uma escola onde um professor vivia perseguindo ele, pois ele sabia que ele tinha fadas.

E, no caso, ele teve dois padrinhos mágicos, que seriam Cosmo e Wanda. Wanda é mais sensata e inteligente e, claro, Cosmo seria a última fada nascida no mundo das fadas, onde ele é o mais completo idiota. E é daí que esse desenho se desenrola. Cada episódio praticamente era um episódio explorando um desejo específico do Timmy. “Ah, eu quero ser o mais inteligente, quero ganhar uma eleição, quero ficar invisível, quero que todo mundo seja igual, quero viajar no tempo” e por aí vai. Isso era muito legal de se ver e era muito da hora.

Existe aqui a temporada chamada Temporada Zero, que seria a primeira verdadeira fase do desenho, já que ele era feito a partir de curtas. Porque não sei se você sabe, mas algumas produtoras ou canais de televisão, como o Cartoon Network e Nickelodeon, encomendam vários pilotos que são exibidos para fazer teste para ver se esse desenho, animação e tudo mais possa ser produzido como uma série completa depois de um tempo.

A Fase Clássica:

A primeira fase é a fase que a gente já conhece. Muitos acabam se lembrando, principalmente a galera mais velha, que é aquele momento onde o Timmy tem Cosmo e Wanda e cada episódio é aquele mesmo esquema básico de fazer um desejo específico para resolver o problema da vida dele.

E é muito doido porque cada um desses episódios era bem interessante. Era aquele conceito de ter uma pequena mensagem que existia naqueles desenhos daquela época, que sempre tentavam aqui sobre olhar mais o próximo, não ser tão egoísta, não tentar usar suas vantagens para poder sair na frente de outras pessoas. Isso acontecia bastante nessa primeira temporada.

Os Novos Episódios e a Decadência:

Aí vem a fase dos novos episódios, uma temporada inteira que só foi exibida na Nickelodeon. Mas foi o começo do fim, já que eles, em vez de explorar personagens que já existiam, foram pro caminho oposto. O bebê Poof nasceu e aí todo mundo começou a fazer piada de bebê. As antifadas ganham mais destaque, já que nasce o Anti-Poof, chamado de Foop. Ele é filho do Anti-Cosmo e da Anti-Wanda, e ele é o oposto do Poof. Poof, o bebê fada, e Foop, o bebê antifada. O Poof é fofinho e bobo, e Foop é maligno e inteligente.

A Última Fase:

Mas a última fase enterrou o desenho, onde colocaram Chloe, uma nova afilhada que divide Cosmo e Wanda com Timmy. Chloe era a nova protagonista que dividia os padrinhos mágicos com o Timmy. Cara, essa Chloe é um saco porque ela basicamente era uma garota certinha e o Timmy todo errado. Se fosse pra colocar uma nova afilhada, tinham que colocar a Tootie, a irmã mais nova da Vicky, que merecia muito mais ter Padrinhos Mágicos do que essa Chloe. Mas foi uma adição que ninguém gostou.

Os Finais Alternativos e Reboots:

Sempre surgiram teorias malucas sobre o final. Muitos especiais, como “Abra Catástrofe” e “A Caçada dos Padrinhos Mágicos”, mostraram finais alternativos. Os especiais de live-action com Drake Bell mostraram uma versão adulta do Timmy Turner, tentando finalizar a série, mas não agradou tanto. A série teve reboots, como a sitcom live-action, que foi mal recebida, e o mais recente, “Padrinhos Mágicos: Um Novo Desejo”, ignorou o Timmy Turner e trouxe novos personagens.

Conclusão:

Mas, no fim, Padrinhos Mágicos sempre deixou sua marca na animação. Muito obrigado por assistir e até o próximo vídeo… ou será que não?

Continue Reading

Animação

Circo Digital – O Mistério de JAX

No Circo Digital, Jax virou o personagem mais popular. Muitas pessoas gostam dele, e ele abre vários mistérios. Primeiro, a mudança de personalidade e comportamento dele entre um episódio e outro já mostra que ele pode ser aquele personagem que vira um NPC ou até mesmo o herói, ou talvez o vilão da série.

Published

on

By

No Circo Digital, Jax virou o personagem mais popular. Muitas pessoas gostam dele, e ele abre vários mistérios. Primeiro, a mudança de personalidade e comportamento dele entre um episódio e outro já mostra que ele pode ser aquele personagem que vira um NPC ou até mesmo o herói, ou talvez o vilão da série. Exploram a depressão do Jax, a origem dele e também os motivos para ele ser um NPC e também não ser um NPC. É sobre isso que vou falar agora, meu amigo. Vamos lá. O Circo Digital está famoso por causa do Jax, e a criadora tem uma mania de falar bastante sobre a série antes mesmo de sair novos episódios. O legal é que ela consegue mentir bastante nos trailers e também nas declarações. Isso é bom lembrar porque ela mentiu bastante sobre o episódio dois, então já podemos esperar mais mentiras sobre o futuro do Jax. Mas a única coisa que é verdade é o que está apresentado na série, nos episódios. Então vamos analisar aqui tudo isso que já foi dito até agora.

O lance do Jax é que ele pode ser interpretado de várias maneiras. Algumas pessoas conseguem perceber que o Jax está aproveitando toda a liberdade do Circo Digital para fazer coisas que ele seria muito mais contido na vida real. Isso mostra que, apesar do seu traço de personalidade ser mais caótico dentro do circo, ele reconhece aquilo como um mundo mais digital onde tudo é possível. Isso mostra que ele também seria um cara muito mais contido na vida real, sendo o completo oposto. Algumas pessoas teorizam que ele teria uma idade mais próxima de 22 anos. Então, muitas das suas características estariam em desenvolvimento, saindo da adolescência e entrando na fase adulta. Considerando que ele foi um personagem completamente traumatizado na vida real, ele seria um humano que está aproveitando toda a realidade proporcionada pelo reino do Circo Digital. Esse comportamento agressivo e destruidor na verdade sempre estava dentro do seu pensamento na vida real, só que, por conta do mundo real ter leis, ele não aproveitava isso na vida real, mas jogava todos os seus impulsos mais agressivos dentro do circo, já que as regras são bem diferentes. A única coisa que pode impedir ele de fazer tudo isso é apenas enlouquecer mesmo, não se preocupando com uma única saída. Ele só está lá querendo causar o caos. E mesmo ele tendo um lado muito mais perturbador, não é difícil perceber que ele tem um lado muito mais problemático no circo. Por exemplo, todo mundo com quem ele interage ou implica são, na verdade, personagens femininas do Circo Digital. Ele faz bullying com a Ragatha, pegando a chave do quarto dela e jogando um monte de coisas dentro. Ele fica quebrando muito a máscara da Gangle e, além disso, enche bastante o saco da Zooble, o que mostra um lado um pouquinho machista da parte dele. Isso é bem irônico, pois em todos os episódios lançados até agora, esse lado machista da parte do Jax aparece.

Mas cortando esse lado machista do personagem, dá para entender que ele poderia estar fazendo todo esse caos em busca de alguma forma de aceitação, e as outras personagens, principalmente as garotas, acabam aceitando as ações do Jax porque elas conseguem enxergar um lado mais humano e também um pouco de paz. Mesmo ele sendo problemático, elas sabem que esse mau comportamento é uma casca que esconde um lado muito mais vulnerável do Jax, relacionado ao mundo real. Isso é muito louco, porque ele é um personagem extremamente contraditório. Na vida real, ele pode ser um cara muito mais tranquilo e contido, mas dentro do circo, percebendo que é um jogo, ele é um cara muito mais caótico. Esses lados problemáticos do Jax mostram que ele é um personagem muito problemático a ponto de algumas pessoas odiarem ele. Um exemplo é ele só implicar com personagens femininas: a Pomni, a Ragatha e a Gangle são as que mais sofrem. A Zooble só não sofre mais porque ela acaba meio que caindo para fora das cenas na maioria das vezes, o que deve ser um protecionismo feito pela Gooseworx, que é a criadora do Circo Digital e cujo avatar é igualzinho à Zooble.

A diferença entre ele no primeiro episódio e no episódio dois é que você percebe que no primeiro episódio ele era um cara muito mais sarcástico. As pessoas gostavam dele por causa do seu humor ácido e algumas tiradas rápidas que ficaram até melhores na dublagem. Mas no episódio dois, as pessoas começaram a perceber que ele era um pouco mais maligno, mostrando um lado mais vilanesco, quase o completo oposto da Ragatha. É só lembrar que ele jogou a Pomni para fora do caminhão, deixou a Ragatha no caminhão para morrer e até mesmo ameaçou a Ragatha ao caramelo, dizendo que o cabelo dela era de algodão doce. Isso é muito irônico, porque ele queria apenas causar o caos, e mesmo ele ficando frustrado durante o segundo episódio, no final, ele deixou o portão do Reino Doce destrancado, o que liberou o caramelo para comer todos os súditos NPCs de balinha que estavam no Reino Doce. Ou seja, ele deixou tudo em uma carnificina, o que fez ele ficar um pouco mais de boa e feliz com a missão.

Continue Reading
Advertisement

FAN GAMES do CANAL

RK Play Joga

Facebook

Advertisement

Trending